Como equilibrar a equação trabalho, família e sucesso profissional?

Artigo produzido pela professora Cleuza Pimenta em parceria com Victor Pimenta de Miranda, aluno do MBA em Gestão de Finanças do Senac.

 

As transformações continuam desafiando os profissionais contemporâneos, exigindo um maior refinamento no seu autogerenciamento e no seu estilo de vida. A qualidade de vida, em geral, está diretamente relacionada às exigências do ambiente corporativo e também das nossas necessidades de adaptação, de acordo com a nossa personalidade, o cargo em que ocupamos e as nossas expectativas.

As organizações estão percebendo que não basta ter apenas capital, estrutura e tecnologia. Faz-se necessário ter gente. Uma equipe criativa, inovadora, que saiba decifrar as incógnitas do mercado e desbravar novos horizontes, enfrentando os desafios e a concorrência, não como algo ameaçador, mas sim como uma oportunidade de crescimento.

 

Sabemos que as novidades geram certo desconforto. Alguns as assimilam bem, enquanto outros ficam presos à tradição e permanecem na zona de conforto. E as dúvidas, nesse sentido, consubstanciam-se no início da evolução. Como as pessoas podem conseguir se destacar em meio a tantas inovações? Se as ações forem feitas de modo padronizado e nos moldes dos costumes anteriores, os resultados serão sempre os mesmos. Não é possível obter algo novo utilizando-se da mesma lógica. Resultados diferentes exigem métodos diferentes! É preciso ousar e mudar os hábitos que já se transformaram em costumes.

 

Neste sentido, diz o senso comum que o sucesso representa 90% transpiração e apenas 10% de inspiração. O insight (“luz criativa”) é extremamente necessário. Mas, nada acontecerá se permanecer apenas no plano das “ideias”, pois um excelente profissional dedica 50% a mais de seu tempo para transformar a sua criatividade em ação. A própria palavra já traduz muito bem isso: inovação = inovar + ação!

É primordial que cada um tenha bem definido o seu próprio conceito de sucesso. Pois, existem vários significados, que variam de pessoa para pessoa. Para uns pode significar ter um carro de luxo, crescimento organizacional. Para outros pode ser recursos financeiros, paz, autorrealização, família, amor, saúde, etc. Cada um sabe o que lhe faz feliz e qual a sensação de ter chegado lá. De ter conseguido o tão almejado sucesso.

As inovações devem ser recebidas e acolhidas num terreno fértil para que possam germinar e florescer. E é exatamente neste ponto que o líder entra. Utilizando-se da metáfora do jardineiro, cabe ao líder, regar, adubar e cuidar para fazer a planta crescer e florescer. Ou seja, motivar, compartilhar visão, valores,  blindar a  realizar juntamente com a equipe o trabalho criativo e inovador.

Porém, pesquisas realizadas por JEFFREY H. Dyer  et al (2009),  afirmaram que apenas 15% dos altos executivos realizam o trabalho criativo. E nesse sentido, os verdadeiros condutores surgem como exemplos a serem seguidos. Um líder constrói uma equipe de excelência. Os talentos são arquitetados nos lugares e nos momentos certos. Os sonhos individuais são trabalhados em prol do desempenho. O líder que tem o DNA das pessoas de sucesso ousa e conecta pessoas/coisas que (ainda) eram discordantes, questiona, testa novas hipóteses, busca perspectivas diferentes e opera redes de apoio em benefícios de suas estratégias.

Um verdadeiro mestre sabe conduzir seus seguidores para o caminho, muitas vezes desafiador. Mas, ético e promissor. O líder serve à causa e cria equipes blindadas, com alto desempenho, que alcança patamares superiores de produtividade, pois ele usa a sua inteligência criativa para ativar seus catalisadores, desenvolvendo, motivando, resignificando o trabalho, fortalecendo o comprometimento, a confiança e conhecimento. Além é claro, de eliminar, isolar e gerenciar os riscos ocupacionais.   Cabe ao líder também promover o bem-estar das pessoas no ambiente de trabalho e ajudar os colaboradores a conquistarem o equilíbrio entre o trabalho e a família. Pilares estes, que são o passaporte para o sucesso profissional.

Para equalizar trabalho, família e sucesso profissional faz-se necessário ser proativo, atento, conectado, saber responder as circunstâncias únicas e inesperadas, ser criativo e inovador. E, para se desenvolver novos hábitos e novas competências é preciso entender os impactos da tecnologia, da velocidade e da competitividade no nosso desempenho. Isso significa conquistar um novo estilo de vida. Sabemos que não é fácil, mas vale a pena tentar. Pense nisto!

Comments

  1. Flaviane Diniz

    Parabéns Victor!!! Esse é, com certeza, o verdadeiro equilíbrio necessário nos dias de hoje. Conquistá-lo significa não só o autosucesso, mas uma contribuição ao meio em que vivemos, já que contaminamos as pessoas a nossa volta com nossas atitudes e sentimentos!

  2. Renata Andrés

    Excelente artigo! Nos faz pensar sobre os ambientes em que estamos e em que queremos estar, nossas escolhas, nossos anseios e as decisões que tomamos para melhorar e equilibrar nossa vida profissional e pessoal.

  3. Michel

    Excelente artigo. Retrata muito bem a necessidade fundamental para ser feliz no trabalho e na vida que muitos não enxergam.

  4. Bianca Miranda de Donati

    Conquistar esse equilíbrio realmente é uma prática constante de revisão de valores, projetos e, acima de tudo, comprometimento, não apenas da pessoa, mas daqueles que estão a sua volta compondo seu ambiente “família”. Excelente enfoque!!! Parabéns Victor Pimenta de Miranda!!! Sucesso a você, a Cleuza Pimenta e a todos envolvidos nesse projeto!!!

Leave a comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *